Rebolado da saúde

Padrão

expresso-popular

A reportagem Rebolado da saúde foi criada para o jornal Expresso Popular, uma das atividades da disciplina de Redação e Produção de Jornal, em 2011/1, sendo as aulas ministradas pelos professores Élson Sempé Pedroso, Fábian Chelkanoff Thier e Ivone Cassol.

A reportagem completa pode ser lida abaixo:

Rebolado da saúde

Dança – Mulheres de Viamão montam grupo, fazem dança do ventre e superam problemas de saúde impostos pela idade.

As mãos balançam e acompanham a cadência das músicas da cantora Shakira. O rebolado pro vezes não acompanha o embalo, mas é animador. “Isso nos renova”, salienta Celci Camara Custódio, 68 anos, uma das 12 alunas das aulas de dança do ventre do Grupo Mãos Dadas, no bairro Santa Isabel, em Viamão.

Celci é viúva, mora sozinha, dirige e diz não se sentir só. “Me sinto livre, gosto das alas, tenho uma sensação de liberdade”.

Celci sofre de reumatismo e teve seus movimentos melhorados após começar a dançar. Sempre quis aprender a dança do ventre, porém nunca teve oportunidade. Celci enfatiza que gosta muito do que está aprendendo. “Quando estamos felizes, fazemos toda a nossa família feliz”, concluiu.

A dança do ventre começou em abril de 2010 e, desde o princípio, teve uma boa aceitação no grupo. A professora Marinei Santos Rosa explica que os exercícios são diferenciados e voltados para a terceira idade. para a professora, essas atividades não estimulam apenas o corpo, mas também a autoestima, “a maioria vai ficando depressiva e se sente menos mulher”. Assim que percebem que podem cantar e dançar, superam as limitações impostas pela idade e pelas doenças. Ela lembra que “têm senhoras que chegaram sem poder andar direito e hoje se movimentam perfeitamente”.

O casal Maria José Medeiros de Melo, 51 anos, e Manoel de Melo participa do grupo, mas fazem atividades diferentes. Ele pratica biodança, e Maria começou em dezembro de 010 a dança do ventre. Depois das aulas, ela melhorou muito a sua parte física. Não foi só o condicionamento do corpo que melhorou, a vida do casal também teve seu avanço. “O namoro ficou melhor”, confidenciou Manoel, um pouco envergonhado.

As bailarinas se apresentam em eventos da cidade de Viamão e ganharam o primeiro lugar, no final do ano passado, em uma competição municipal. No evento, elas concorreram com diversos grupos de dança. A vitória foi uma surpresa, já que os competidores eran bem mais jovens que do grupo. “Fiquei muito orgulhosa delas”, conta Marinei.

Exercício para corpo e mente

A Universidade de Campinas (Unicamp) fez uma pesquisa em 2008 sobre a dança como atividade física para idosos. Os pesquisadores comprovaram que a atividade, além de exercitar i corpo, faz bem para a memória e desenvolve habilidades como força, ritmo, agilidade, equilíbrio e flexibilidade. Com o passar do tempo, as pessoas deixam de exercitar a área do cérebro responsável por essas ações para estimular outras regiões como a que controla a ansiedade e a motivação.

Tudo isso porque ao memorizar os passos da dança ativam partes do cérebro que estavam adormecidas.

Locais para a praticas de esportes

Assim como Viamão, outras cidades da região metropolitana também possuem grupos de pratica esportiva para idosos. Veja algumas delas:

* Secretária Municipal de Esporte e Cultura (Semec), de Ivoti, oferece cursos de alfabetização, além de vários eventos para a terceira idade. Fica na Rua José de Alencar, 780. Telefone: (51) 3563-6788

* Programa Maturidade Ativa do Sesc Rio Grande do Sul realiza diversas atividades direcionadas para quem tem mais de 60 anos. Para maiores informações: 3284-2000

* Projeto de Bem com a vida da Secretária Municipal de Esportes (SME), de Porto Alegre, realiza diversas atividades físicas direcionadas ao idoso. Mais informações pelos telefones: (51) 3289-4868, (51) 3289-4850 e (51) 3233-8591 em horário comercial ou no local.

Anúncios