Chuvas deixa desabrigados e destrói cidades no Rio de Janeiro

Padrão

Publicada no site Linklar em 3 de janeiro de 2013

Não houve o rompimento de barragem em Xerem, avisa Defesa Civil./ Foto: EBC

Não houve o rompimento de barragem em Xerem, avisa Defesa Civil./ Foto: EBC

Uma frente fria que atingiu o estado do Rio de Janeiro nesta madrugada, 3 de janeiro, fez novos estragos na região serrana, no sul do estado e na Baixada Fluminense. Uma pessoa morreu em Xerém, distrito de Duque de Caxias, onde o Rio Capivari subiu ao nível das pontes e alagou diversos bairros. Nas demais localidades vários imóveis foram devastados. A estimativa é que na região de Teresópolis cerca de 50 pessoas estejam desalojadas e 32 sem casa em Angra dos Reis. O governo estadual pretende anunciar ainda nesta tarde uma força tarefa para auxiliar os municípios.

Informações divulgadas pela Defesa Civil Estadual avisam que em Angra dos Reis, no sul do estado, oito casas desabaram e há 32 pessoas desabrigadas. Na mesma região, em Mangaratiba, houve rolamento de pedras e um muro desabou, causando destruição em uma residencia. Em Mambucaba, há pelo menos 100 desalojados.

Em Teresópolis, as sirenes foram acionadas em cinco comunidades com a subida do Rio Paquequer. Cinquenta pessoas perderam suas moradias nas localidades do Vale da Revolta, de Perpétuo, Rosário, Caxangá e Pimentel. Em Petrópolis, os rios Bingen e Piabanha transbordaram. Houve escorregamento de terra e pedras nos bairros Independência, Siméria e São Sebastião.

Ainda na tarde de hoje o governo do Rio de Janeiro vai instalar um gabinete de crise para atender e dar respostas mais rápidas às situações de emergência provocadas pela forte chuva que atingiu o estado nesta madrugada. Participam do grupo representantes das secretarias de Defesa Civil, Saúde e Assistência Social, Obras, Governo e o Serviço Geológico do Estado. Representantes do governo se reunirão na manhã de hoje para definir a estratégias de atuação do gabinete.

De acordo com o secretário estadual de Defesa Civil, coronel Sérgio Simões, a área mais afetada foi Angra dos Reis, onde três pessoas tiveram ferimentos leves e foram socorridos pelo Corpo de Bombeiros. Contudo, segundo o coronel, não foi necessário o envio de reforço, pois Angra dos Reis já tem estrutura preparada para atender a emergências, devido ao plano de atuação para a central nuclear instalada no município.

“A Defesa Civil disparou um protocolo para desmobilizar as pessoas que vivem em comunidades com risco geológico. Um número estimado de 20 mil pessoas vivem na região, cerca de 2,5 mil habitantes estão sendo orientadas a seguir para locais seguros, que pode ser casas de amigos, parentes ou os locais definidos pela prefeitura”, salienta Simões ao explicar a situação das cidades em calamidade.

Ele ainda falou que não houve rompimento da barragem em Xerém, como divulgado por populares, o que houve foi o transbordamento dos rios. Há cerca de 200 desabrigadas na região. Em Nova Iguaçu e Belford Roxo também houve alagamento, problema agravado pela falta de recolhimento do lixo, mas sem relatos de dificuldade em atendimento hospitalar.

Interdição Parcial da rodovia Rio-Santos

As chuvas fortes desta madrugada também provocaram o deslizamento de pedras em Mangaratiba, cidade a 85 km do Rio de Janeiro, levando à interdição parcial da Rodovia BR-101 Sul, mais conhecida como Rio-Santos.

A Polícia Rodoviária Federal (PRF) informa que o tráfego está totalmente interrompido na altura do km 578, em Paraty, devido ao tombamento de uma carreta.

*com informações da Agência Brasil

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s