Informativo Clareando – Julho de 2014

Padrão

julho-2014

Neste mês de julho assino a coluna Conhecendo Santa Clara, no qual o texto disserta sobre a visão que Clara teve na noite de Natal.

A edição podem ser conferidas no ISSUU

Clareando Julho de 2014

Setor de estética é um dos mercados que mais cresceu no País

Padrão

Esta reportagem trouxe um pouco de informações para quem quer investir no segmento de beleza. Mais do que isso, para quem pretende abrir uma franquia neste ramo, mas quer algo voltado para a educação e não um salão de beleza apenas. Este é um mercado em expansão quando se pensa em franchising. Abaixo um trecho da reportagem, publicada no site Mapa das Franquias.

Print da tela

Print da tela

Setor de estética é um dos mercados que mais cresceu no País

O setor de estética e beleza é um dos mercados que mais cresceu no País. O Brasil é o terceiro maior mercado consumidor do mundo, ficando atrás apenas de Japão e Estados Unidos. De acordo com dados do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) em 2013 existiam cerca de 342 mil salões de beleza formalmente registrados no País. A alta procura por cursos e por qualificação faz com que as escolas de estética sejam um bom investimento para quem pretende abrir um negócio na área.

O Instituto Embelleze, por exemplo, é uma opção para quem quer investir neste setor de franchise. A Embellezze está no mercado há 40 anos no ramo dos cosméticos, desde 1998 existe como instituto educacional, e em 2003 a marca passou a ser franqueada.

A rede fechou 2013 de forma positiva e confirmando os dados divulgados pelo Sebrae.No final do ano passado a Embelleze tinha 359 franquias. O faturamento chegou a marca dos R$ 200 milhões, crescimento de 23% se comparado com 2012. Neste ano a empresa pretende investir em cidades com menos de 100 mil habitantes. Além disso, a meta é que o faturamento cresça 20%, e sejam abertas 141 escolas. Leia o restante em: http://www.mapadasfranquias.com.br/noticia/setor-de-estetica-e-um-dos-mercados-que-mais-cresceu-no-pais

Setor da construção civil continua sendo um dos mais rentáveis

Padrão

Diferente das demais reportagens que fiz para o site Mapa das Franquias, nesta selecionei cinco empresas do ramo da construção civil para os leitores conhecerem melhor. O setor, apesar do momento econômico não ser favorável, é um dos que mais cresceu no Brasil. Veja abaixo um trecho.

Print da tela

Print da tela

Setor da construção civil continua sendo um dos mais rentáveis

Apesar dos números não serem tão positivos neste ano, o setor da construção civil continua sendo um dos mais relevantes da economia brasileira. Atualmente cerca de 172.703 empresas são atuantes no mercado. No setor de franquias não é diferente. Na Associação Brasileira Franchising (ABF) são 27 empresas registradas, sendo uma delas uma escola voltada para o ensino de profissionais ligados a área.

De acordo com informações do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) o índice Nacional da Construção Civil ficou em 0,59% em junho. No mês de maio esse número chegou a 1,06%. No primeiro semestre de 2014, os custos da construção passaram a acumular alta de 3,68%. No mesmo período de 2013, este acumulado chegou a 4,1%. Porém, o IBGE deixou claro que o resultado acumulado leva em conta a desoneração da folha de pagamento de empresas do setor da construção civil prevista na Lei 12.844, sancionada em 19 de julho de 2013.

Mesmo com números de crescimento um pouco abaixo, se comparado com o ano passado, o mercado da construção civil continuará crescendo e será um dos mais rentáveis. As franquias são uma alternativa para quem quiser entrar nesta área. O interessado deve procurar bem o segmento que quer seguir. Nós listamos cinco empresas que atendem diferentes públicos deste setor. Confira a lista completa em: http://www.mapadasfranquias.com.br/Conteudos/noticia/setor-da-construcao-civil-continua-sendo-um-dos-mais-rentaveis

É gratificante ser franqueada da Cacau Show, diz empresária

Padrão

Chocolate é gostoso de comer e pelo que tudo indica de vender também. Nesta reportagem tive a oportunidade de conhecer Luzia Helena da Silva, franqueada da Cacau Show, e um pouquinho da empresa de chocolates. A rede de franquias é líder de mercado quando o assunto é chocolate. Veja abaixo um trecho da reportagem.

Print da tela

Print da tela

É gratificante ser franqueada da Cacau Show, diz empresária

A Cacau Show atualmente é uma das marcas mais conhecidas do mercado de franchising quando o assunto é chocolate. Tanto que a empresa foi a mais citada no Twitter durante a Páscoa deste ano, de acordo com dados de pesquisa E-Life entre os dias 26 de março até 8 de abril. A empresa criada em 1988 por Alexandre Tadeu da Costa está desde 2004 no ramo das franquias. No ano que virou franquia a rede possuía 131 lojas, já em 2013 elas passaram a ser 1570.

Há dez anos como franqueada da Cacau Show, Luzia Helena da Silva contou que é gratificante trabalhar com esta rede de franquias. Ela é sócia de três estabelecimentos com a marca em Porto Alegre. A mais antiga fica localizada na Rua Siqueira Campos. As outras são localizadas nas Avenidas Salgado Filho e Borges de Medeiros, todas no Centro Histórico da capital gaúcha. Luzia Helena explicou que abriu a loja por recomendação da filha, que é uma apreciadora de chocolate. Após trabalhar por anos em uma multinacional e depois abrir uma escola infantil (que durou 12 anos) ela resolveu dar um novo rumo a sua vida profissional.

A empresária explicou que após o franqueado ser aceito passa por uma fase de treinamentos em São Paulo, onde fica a matriz. Mas sempre há também os cursos de reciclagem, além de encontros anuais. “Ela (a Cacau Show) prima por isso, tanto que todo final de ano tem uma convenção anual em São Paulo que reúne os franqueados. Depois ao longo do ano tem reuniões. Dia 17 terá uma aqui em Porto Alegre, este ano já teve em Curitiba e em outras cidades. Estes programas não são somente para os franqueados, são também para os consultores”, salientou Luzia Helena.

Leia a matéria completa em: http://www.mapadasfranquias.com.br/Conteudos/noticia/e-gratificante-ser-franqueada-da-cacau-show-diz-empresaria

Escolas de idiomas um mercado que tem muito para crescer

Padrão

O ramo da educação de línguas estrangeiras é um segmento de franchising que está em expansão. O aumento da renda do brasileiro e da educação são apontados como causas deste crescimento de mercado. Em entrevista ao Mapa das Franquias,  Leonardo Cirino, diretor de marketing e expansão do Grupo Ometz, explicou que este é um setor que tem espaço para todos que quiserem investir nele. Confira abaixo.

Print da tela

Print da tela

Escolas de idiomas um mercado que tem muito para crescer

Mesmo com um número considerável de escolas de idiomas apenas 5% dos brasileiros falam inglês como segundo idioma, aponta pesquisa feita pelo British Council. Sendo assim, Leonardo Cirino, diretor de marketing e expansão do Grupo Ometz (Wise Up, You Move e Red Ballon), explica que o mercado de franchising educacional de idiomas tem muito para crescer no Brasil, já que quatro milhões de brasileiros pretendem aprender uma nova língua.

De acordo com a Associação Brasileira de Franchising (ABF) o País tem cerca de 73 redes de escolas de idiomas e um total de 6.215 mil unidades cadastradas (dados de 2011). Estudo de geomarketing feito pela Abril Educação entre os últimos meses de 2013 e os primeiros de 2014 constatou que das 300 variáveis mapeadas, 72% tem potencial fortíssimo para a abertura de escolas. “O mercado de franquias de escolas de idiomas é uma cauda longa. Tem espaço para todos que quiserem investir”, salientou Cirino.

O diretor de marketing contou que a Wise Up foi a primeira empresa de nível educacional a patrocinar uma Copa do Mundo. Ele falou que quem procurou pela Wise Up foi a Fifa e a rede de franquias viu uma oportunidade. Leonardo disse que acredita que a procura por cursos de idiomas irá aumentar após a Copa do Mundo do Brasil, neste ano, e as Olimpíadas do Rio de Janeiro em 2016. “Neste momento o que vemos é uma população que está trabalhando a intercionalização, que quer conversar ou pelo menos ajudar os gringos que estão aqui para acompanhar a Copa. Acredito que isso irá aumentar a vontade dos brasileiros em aprender o inglês no futuro”, salientou. Confira a entrevista completa em: http://www.mapadasfranquias.com.br/Conteudos/noticia/escolas-de-idiomas-um-mercado-que-tem-muito-para-crescer

Origem da fé nasceu para atender segmento inexplorado pelas franquias

Padrão

Esta reportagem falou de um segmento novo no mercado de franquias. O das vendas de produtos religiosos e místicos. Com foco em três diferentes grupos de religiosos, a rede Origem da Fé nasceu para atender um segmento pouco lembrado pela maioria dos empreendedores. Abaixo tem um trecho da matéria e no link, também abaixo, a reportagem completa.

Captura da tela

Captura da tela

Origem da fé nasceu para atender segmento inexplorado pelas franquias

A religião está presente na vida de muitos brasileiros. De acordo com dados do Sendo 2010, realizado pelo IBGE, no País a população se divide em 64,4% de católicos; 22,2% de evangélicos, 2% são espíritas; 2,7% seguem outras doutrinas religiosas; e 0,3% se declararam seguidores do candomblé e umbanda. Para atender esse público no final de 2013 nasceu a rede de franquias Origem da Fé. Criada por Rafael Jorge e Marcos Rozzato, a Origem da Fé veio para atender essa demanda. Rozzato explicou que “o nicho de Artigos religiosos e esotéricos é um segmento do franchising totalmente inexplorado. Faltava uma empresa estruturada para explorar esse segmento que é um dos mais lucrativos”.

Marcos contou que a rede de franquias de materiais religiosos e místicos tem como público os devotos e simpatizantes das mais variadas religiões, assim como as pessoas que gostam de artigos de decoração, místicos e esotéricos. Por meio de parcerias com fornecedores, a Origem da Fé tem um mix de mais de 10 mil produtos. Em todas as lojas vendem-se CDs e livros. Mas cada comércio segue um segmento religioso, ou seja, cada um vende produtos direcionados ao seu interesse, seja ele católico, evangélico, umbandista ou outro. Para quem quiser fazer parte da Origem da Fé deve saber que o investimento médio é de R$ 67.000. (…) Areportagem completa pode ser vista aqui: http://www.mapadasfranquias.com.br/Conteudos/noticia/origem-da-fe-nasceu-para-atender-segmento-inexplorado-pelas-franquias

Ortodontic Center: a Rede de Franquias que uniu serviços odontológicos ao modelo de negócio seguro

Padrão

Minha terceira reportagem para o Mapa das Franquias falou sobre as franquias odontológicas e como elas podem aumentar o faturamento e a sobrevivência do setor de serviços de odontologia. Abaixo um trecho da matéria e para lê-la completamente é só acessar o link do final da página.

Print da tela

Print da tela

Ortodontic Center: a Rede de Franquias que uniu serviços odontológicos ao modelo de negócio seguro

A maioria do setor odontológico atualmente é composta por liberais autônomos, que não possuem conhecimento em administração e gestão. Estes acabam por montar consultórios sem nenhum estudo e sem plano de negócio, por esses motivos aumenta muito o risco de mortalidade, engordando as estatísticas, de acordo com Fernando Massi, sócio-fundador da rede de franquias Ortodontic Center. A empresa, criada em 2002 por Massi, nasceu para não fazer parte destas estatísticas, e assim desenvolveu um modelo de negócio que alia suportes de agências de marketing, jurídico, humanos, tecnologia da informação, dentre outras.

O empresário disse que com esse novo suporte criou-se ferramentas “que impactam a população, estimulando o agendamento em nossas clínicas, visto que somente 5% da população brasileira procura odontologia espontaneamente. Dessa forma, tais campanhas têm como objetivo impactar esse mercado imenso de mais de 95% da população que não vai ao dentista”.

Em 2004 a marca Ortodontic Center passou a ser franqueada, facilitando o crescimento da empresa que hoje conta com mais de 100 unidades espalhadas pelo Brasil (…) Leia a reportagem completa em: www.mapadasfranquias.com.br/noticia/ortodontic-center-a-rede-de-franquias-que-uniu-servicos-odontologicos-ao-modelo-de-negocio-seguro