Julho de 2015: pizzas, feira da ABF, internacionalização do Giraffas e as franquias da moda

Padrão

Julho de 2015 foi bem agitado para essa jornalista que lhes escreve, mas neste post irei focar apenas nas matérias que envolvem os negócios e o que foi publicado no site Mapa das Franquias. No sétimo mês do ano tive o prazer de contar boas histórias e conversar com diferentes empresários. Os destaques foram: mercado de pizzas, a internacionalização do Grupo Giraffas, os resultados para os franqueadores que expuseram pela primeira vez ABF Franchising EXPO, realizada em São Paulo (SP). Assim como nos demais meses, aqui estarão trechos e ao final o link de direcionamento para quem estiver interessado em ver o conteúdo completo.

O mercado de pizza segue aquecido mesmo com o período de crise brasileira

Patroni investe em inovações, lança novo cardápio, mantém qualidade das pizzas e cria novo modelo de franquias para acompanhar inovações sociais.

pizza

O mercado de pizza segue aquecido mesmo com o período de recessão que o País vive. De acordo com o Sebrae, em 2014, o Brasil contava com cerca de 15 mil pizzarias, sendo que o setor movimentou cerca de R$ 22 milhões por dia. Com uma alta concorrência, o indicado é que as empresas não invistam apenas na baixa dos preços, mas inovem, seja nas receitas, nas embalagens ou nos serviços. O mercado de franchising segue essa tendência. Redes, como a Patroni, se renovam para manter os clientes, atrair novo público e não perder o faturamento.

Rubens Augusto Júnior, presidente da Patroni, explicou que a empresa tem inovado, para acompanhar as mudanças sociais que o País vive e consiga se manter ativa, mesmo no período de instabilidade econômica. A primeira alteração foi da identidade visual da Patroni. Depois, remodelou-se o cardápio oferecido nas unidades da rede, no qual o novo modelo é composto por um mix de pratos apurados e mais simples para facilitar a decisão final do cliente, já que assim a eficiência do atendimento é mantido, e as pizzarias mantém o faturamento.

Um dos destaques da reformulação do cardápio foi a atualização das parcerias, que englobam ações fixas e sazonais, que são trabalhadas em diferentes períodos ao longo do ano. Na primeira ação o produto em parceira com a Unilever é o Grill Don Patroni com arroz cremoso Hellmann’s, composto por arroz cremoso Caprese, frango ou carne grelhados com salada Patroni e mais dois acompanhamentos. Outra opção, é o Bife com Fritas. O prato é composto por um suculento bife acompanhado da exclusiva batata rústica da McCain e acompanhamentos à escolha do cliente. E também, a extensão da linha dos famosos parmegianas da rede, com leitura de sabores de pizza, como o Parmegiana Pepperoni.

Mesmo com as inovações, as pizzas seguem sendo o carro-chefe da rede, sendo que o maior diferencial da Patroni é “o carinho na elaboração de uma pizza verdadeiramente artesanal, massa preparada e aberta na hora na frente do cliente, e assadas em forno a lenha. A forma de fazer pizzas como nos velhos tempos, preservando a qualidade do produto e culinária caseira”, ressaltou Rubens Augusto Júnior.

A Patroni não modificou apenas o cardápio, como também alterou o modelo de negócios. Durante a ABF Franchising Expo 2015, realizada em junho, a rede apresentou um novo modelo de franquia: A Patroni Expresso. O modelo é 63% menor, se comparada com a Patrono tradicional, tem o atendimento mais rápido, e no cardápio as pizzas conhecidas pelo público, serão vendidas por fatias, além da venda de hot dog, salgados e sorvetes. O investimento também é menor, por volta de R$ 150 mil, abaixo dos demais modelos.

Leia mais em: www.mapadasfranquias.com.br/noticia/o-mercado-de-pizza-segue-aquecido-mesmo-com-o-periodo-de-crise-brasileira

Empresários comemoram resultados da ABF Franchising Expo

Responsáveis pela Feira destacam que o mercado de franquias se mantêm aquecido mesmo com a economia brasileira passando por dificuldades.

abf-expo-publico-3-2015
Em junho aconteceu em São Paulo, Capital, um dos maiores eventos relacionados ao mercado de franchising, ABF Franchising Expo. Nesta 24ª edição da Feira, 480 marcas brasileiras e internacionais foram expostas, sendo que destas 78 participaram pela primeira vez. O resultado foi positivo, de acordo com os empresários. A Ice Cream, por exemplo, foi para o evento com o intuito de ser conhecida, mas saiu de lá com empreendedores interessados na rede. Além disso, o balanço feito pela própria Associação indicou que a crise econômica não está abalando o setor de franquias, pelo contrário.

A ABF Franchising Expo foi realizada dos dias 24 a 27 de junho. Bateu recorde de visitantes, já que a estimativa foi de que 64 mil pessoas circularam pela Expo Center Norte, local onde foi realizada a Feira. O aumento de público, de marcas participantes e dos interessados em abrir franquias demostrou que o mercado não está sentindo os reflexos da crise econômica brasileira. Juarez Leão, diretor de Treinamento, Cursos e Eventos da ABF, explicou “o mercado de franchising já vinha demonstrando sinais de resiliência com crescimentos nominais expressivos em 2014 e no primeiro trimestre de 2015. O movimento verificado na feira é mais um forte indicativo de que o empreendedor brasileiro considera o sistema de franquias seguro e uma opção viável de investimento de médio e longo prazo frente ao atual panorama econômico”.

Das marcas que participaram pela primeira vez, nos conversamos com algumas e abaixo demostramos um pouquinho de três delas, que além de serem novatas na Feira também possuem pouco tempo de vida e investem no setor de franchising: Ice Creamy, Amabilità e Água Inmaculada.

Leia o que cada empresário disse em: www.mapadasfranquias.com.br/noticia/empresarios-comemoram-resultados-da-abf-franchising-expo

Investir em franquias com produtos da moda é seguro?

Existem riscos altos e vantagens apontou especialista em franchising em entrevista.

duvidas

Produtos entram e saem de moda. O mercado de franquias não está de fora. Mas investir em marcas que são top no momento é seguro? O especialista em franquias, Leandro Silva, coordenador do curso de Relações Internacionais do Centro Universitário Newton Paiva, acredita sim, apesar dos riscos, desde que sejam tomadas medidas, projeções a longo prazo e também se realize estudos prévios de clientes. Um produto mesmo que fora de moda pode cair gosto do consumidor.

Além disso, a segmentação de produtos e serviços atrai um nicho específico de clientes e isso pode manter a empresa mesmo em períodos de crise, desde que com cuidados. Confira a conversa que tivemos com o professor Silva.

Mapa das franquias: Muitos produtos estão em foco no momento e atraem clientes e também empreendedores que acabam investindo nas vendas destes produtos. Exemplos são as boutiques de carnes, joalherias, cervejarias artesanais, restaurantes especializados em ceviche e etc. Quais os riscos de abrir uma franquia que é especialista apenas em produtos específicos?

Leandro Silva: Primeiramente temos que entender que, qualquer segmento que seja baseado em uma moda ou modismo, tem que ter um retorno dos investimentos em curtíssimos prazos! A própria palavra já determina: é moda, algo que tende a ser passageiro. Por isso, na minha opinião, eu não colocaria um centavo antes de ter 150% de que o retorno será antes de um prazo de dois anos. Se possível, antes de um ano. Uma outra observação que temos que ressaltar é o fato de que segmentos especializados são, na verdade, nichos de mercados. E uma das coisas que sempre me preocupa neste segmento é se existe, de fato, um número de clientes na localidade que poderá gerar uma demanda real e garantir a liquidez da empresa.

Mapa das franquias: Quais os ricos que o empreendedor tem ao adquirir uma franquia da moda?

Leandro Silva: Além dos riscos anteriormente ressaltados, ficar endividado ou ir a falência!

Mapa das franquias: Quais as vantagens que o empreendedor tem ao adquirir uma franquia da moda?

Leandro Silva: Primeiro, por ser da moda, é um produto ou serviço que está entre as tendências de mercado e normalmente estes tipos de produtos ou serviços atraem clientes por si só. Assim, a possibilidade de ter de desbravar mercado é bem menor e a possibilidade de retorno inicial ser maior, é bem factível. Esta é a maior vantagem, já que, alguns investimentos na captação e desbravamento de novos mercados será bem menor do que uma franquia tradicional!

Confira a entrevista completa: www.mapadasfranquias.com.br/noticia/investir-em-franquias-com-produtos-da-moda-e-seguro

Rede Giraffas internacionalizou a marca e hoje tem 10 unidades no EUA

O interesse em investir em franquias no exterior aumentou em virtude da situação econômica brasileira. Mas há desafios em abrir uma unidade fora do País.

giraffas

O Giraffas foi criado em 1981, em Brasília, hoje é uma rede multinacional com 410 restaurantes espalhados pelo Brasil e Estados Unidos. Em 1991 a marca entrou no mercado de franchising e em 2011 tornou-se sócia da Tostex. A primeira unidade em solo norte-americano foi aberta no mesmo ano. Expandir para fora do Brasil foi uma forma que o Giraffas encontrou de entrar no maior mercado consumidor de fast-food, conhecer as tecnologias que cercam este segmento, conhecer como funciona a concorrência e trazer para a empresa, no Brasil, essa experiência. Além disso, com a economia em crise, muitos empreendedores estão pensando em abrir uma franquia no exterior. Eduardo Guerra, diretor de Expansão do Grupo Giraffas, conversou conosco e falou sobre a internacionalização da marca.

Em 2006 o grupo Giraffas começou a estudar o mercado norte-americano e cinco anos depois foi inaugurada a primeira unidade, na Flórida (EUA). Guerra salientou que o principal desafio da rede foi “conseguir formatar um conceito que tivesse a essência da nossa marca, que é a brasilidade, e com aderência aos consumidores americanos. Isso faz com que tenhamos capacidade de crescimento em escala dentro dos EUA. E nosso caminho demonstra que temos tido sucesso nesse quesito”.

A expansão internacional do Giraffas tem como foco no momento apenas dos Estados Unidos. Claro que ir para outro país traz alguns problemas, principalmente culturais e econômicos. “A implantação de um negócio em um local bem diferente daquele a que estamos habituados traz alguns transtornos. Ultimamente temos convivido com a alta do dólar, isso faz com que a demanda de investimento em real seja maior. É necessário se adaptar a isso e criar condições para manter a expansão e resultado mesmo dentro desse cenário”, explicou o diretor.

Enfrentar a concorrência dos fast foods norte-americanos exigiu que se estudasse o mercado local e o público-alvo. Assim, desenhou-se um novo modelo de negócio: o Fast Casual, um formato de restaurante que une a agilidade do fast-food a um ambiente mais aconchegante e serviço em mesa. “Esse é o segmento que mais cresce nos EUA. Apesar da mudança de segmento, nosso DNA ainda é o tradicional arroz e feijão e no corte de carne mais conhecido no Brasil, a picanha. Outro ponto importante é a hospitalidade típica brasileira, um grande trunfo para concorrer com as redes locais. Também possuímos no cardápio uma variedade de saladas e também café da manhã”, ressaltou Eduardo ao falar sobre a concorrência nas franquias do exterior.

Veja mais detalhes em: www.mapadasfranquias.com.br/noticia/rede-giraffas-internacionalizou-a-marca-e-hoje-tem–unidades-no-eua

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s