Yungay 2 – lofts charmosos em Valparaíso, no Chile

Padrão

Fachada dos lofts Yungay/ Foto: Marcos Mendizabal

Se em meados do século XX os lofts foram criados a partir de galõpes e antigos armazéns, tornando-se logo após moradia para aqueles do estilo “cool”, na entrada do novo século não seria diferente. Nos anos 2000, a cidade de Valpaíso, no Chile, recebeu os primeiros lofts “Yungay”, idealizados pelos arquitetos Antonio Menéndez e Cristian Barrientos, da Rearquirtetura. Naquele período apostaram na antiga fórmula: gente jovem, descolada, atmosfera cultural e boêmia.

Em 2008 os sócios resolvem fazer uma nova leva imóveis, um prédio com 20 lofts, denominado como Yungay 2. Uma forma em concreto da união entre as referências históricas e a modernidade construtiva de cores intensas e respeito pelo ambiente urbano, considerado Patrimônio Cultural da Humanidade desde 2003.

Está localizado em um dos morros que se alinham à costa do Pacífico, e como as casas ao redor são vivamente coloridas e de porte pequeno, o conjunto de lofts também aderiu a este formato. O Yungay 2 é um condomínio, mas não um bloco. As unidades foram divididas em três pavimentos e duas fachadas principais. Cada nível e cada um dos dois lados apresentam diferenças que criam um todo harmonioso.

O projeto fica no Cerro Yungay, na encosta propriamente dita e, por isso, enfrenta sob suas fundações um íngreme declive. A leste está a rua que também abriga o primeiro conjunto de lofts homônimo projetado por Menéndez e Barrientos. A oeste, a falésia e a imensidão do oceano, que pode ser avistado do topo do Yungay 2, nos terraços.

A fundação do Yungay 2 se estabelece em acordo com os desníveis do terreno. Assim, as unidades são baseadas em plataformas que se adaptam ao relevo e não em uma estrutura única. Não houve a necessidade de muros de contenção ou grandes perfurações na rocha, mas sim dois eixos que garantem a “amarração” das plataformas sobre um alicerce profundo em direção ao declive.

Os eixos centrais são correspondentes à orientação norte-sul dos corredores, ou seja, no “comprimento” do prédio. Tais espaços de circulação são constituídos em três níveis ligados por escadas curtas, o que demonstra a adaptação da obra ao terreno. No topo, claraboias auxiliam na iluminação dos corredores.

A base de alicerçamento em pequenas plataformas faz com que a sensação de unidade da construção não determine, em consequência, a percepção do todo como algo “maciço”. Menéndez explica que a ideia era criar uma construção fragmentada em série, o que ganhou força coesiva com a escolha da aplicação de um padrão de cores.

Estão dispostos em três pavimentos e cada uma delas forma uma moradia.

O principal cuidado durante a obra foi não causar impacto ambiental/ Foto: Marcos Mendizabal

As unidades têm algumas diferenças estruturais. Em três, sendo um de cada formato, há closets. Nos dúplex e “singles” há área de serviço. Nos dúplex os degraus são fixados na parede em perfis de metal, enquanto nos triplex as escadas podem ser em caracol.

Todos os lofts são revestidas com ardósia em formato retangular pequeno, enquanto as escadas são compostas em pínus vitrificado. Nos terraços, cerâmica, e nos balcões, grama. Nas áreas comuns o piso leva porcelanato e as paredes mantêm as cores usadas na fachada externa, mas agora em tons pasteis. Os halls se compõem com painéis verticais de vidro, carpete nas escadas e papéis de parede com acabamento em vinil.

O charme do Yungay 2 fica pro conta das belezas locais, como da costa de Valparaíso e da cultura que a cidade emana.

A grande janela auxilia a iluminação natural dos imóveis./ Foto: Marcos Mendizabal

Os objetos coloridos quebram o branco das paredes internas/ Foto: Marcos Mendizabal

Sala e cozinha integradas. Cada cômodo no seu estilo./ Foto: Marcos Mendizabal

Do terraço a visão natural é destaque./ Foto: Marcos Mendizabal

Anúncios

Série – Como investir no Mercado Imobiliário

Padrão

Essa é uma série quinzenal de como investir no Mercado Imobiliário.

Como investir no mercado imobiliário – revenda de imóvel

Seguindo nossa série de posts sobre Investimento no Mercado Imobiliário vamos falar de como investir em imóveis para revendas. Essa é uma forma mais segura de investimento, porém exige determinados cuidados, mesmo que este já seja usado.

O primeiro passo é decidir a forma de compra: Já tens o capital ou vai procurar financiamento? Quanto estas disposto a gastar? E nos casos de financiamento procurar os menores juros e taxas de empréstimo é um bom caminho.

Continue lendo

Como investir no mercado imobiliário – imóvel na planta

Existem diversas modalidades existentes para entrar neste setor, as duas principais são a compra de imóvel na planta e revenda; e compra de imóvel usado – reforma- revenda. Neste primeiro momento vamos apenas falar de lançamento e revenda.

Antes de investir em um imóvel é necessário que a pessoa prepare-se antes. Deve-se ter a consciência que nem sempre é possível revender o imóvel durante a obra. É necessário que o comprador de um imóvel de lançamento conheça as suas próprias finanças, afinal caso não consiga vender de imediato o empreendimento, o valor das parcelas do financiamento não deve ultrapassar 30% da renda mensal do investidor. Há casos de que quando isso não é bem estruturado muitos acabam vendendo o imóvel por um preço abaixo do mercado e acabam tendo prejuízos.

Continue lendo

Nordeste e o Centro-Oeste aumentam números da construção civil no País

Padrão

Imagem: divulgação

Publicado em 15 de junho

De acordo com dados da Pesquisa Anual da Construção (PAIC) 2010, divulgada hoje, 15 de junho, pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o Nordeste e o Centro-Oeste aumentaram a participação na indústria nacional da construção, na comparação com as demais regiões do país nos anos de 2007 a 2010. O Nordeste registrou no período um crescimento de 17% para 19% no pessoal ocupado e de 11,7% para 13,8% no valor das incorporações, obras e serviços. Já o Centro-Oeste, houve ampliação de 7,2% para 7,6% na mão de obra empregada, enquanto as incorporações, obras e serviços aumentaram de 6,8% para 7,4%.

Segundo o IBGE, esse desempenho resulta do fato de que as duas regiões se beneficiaram dos investimentos do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) e do Programa Minha Casa, Minha Vida, assim como das obras preparatórias para a Copa do Mundo de 2014. Entre essas obras, destacam-se, no Nordeste, a transposição do Rio São Francisco, o emissário submarino de Salvador (sistema de lançamentos de resíduos no oceano, distante da costa) e as ferrovias Transnordestina e Leste-Oeste. Já no Centro-Oeste, os destaques foram a construção da Ferrovia Norte-Sul e as obras de duplicação de diversas rodovias.

Apesar do crescimento verificado nas regiões Nordeste e no Centro-Oeste, o Sudeste manteve em 2010 a maior participação em pessoal ocupado, totalizando 56,1% e no valor das incorporações, obras e serviços da indústria da construção, com a marca de 63,6%.

No geral, a pesquisa do IBGE mostra que em 2010 as incorporações, obras e serviços das empresas de construção somaram R$ 258,8 bilhões, um aumento real de 23,3% em relação a 2009. Excluindo-se as incorporações, o valor das obras e serviços atingiu R$ 250 bilhões, 42,8% dos quais provenientes de obras públicas. Essa participação foi ligeiramente menor do que em 2009, quando as obras públicas representaram 44% do total. Já a receita operacional líquida atingiu R$ 245,2 bilhões, uma expansão de 23,4% sobre 2009.

Em 2010, as 79,4 mil empresas de construção do país empregaram cerca de 2,5 milhões de pessoas e tiveram gastos com pessoal ocupado no total de R$ 63,1 bilhões. Esses gastos representaram 30,7% do total de custos e despesas do setor, que foi R$ 205,6 bilhões. O salário médio mensal ficou em R$ 1.300, 8,7% superior aos R$ 1.196 de 2009.

Os números da Paic mostram ainda que entre 2007 e 2010 a receita bruta da construção cresceu 96,3%, passando de R$ 134 bilhões para R$ 263,1 bilhões. A pesquisa levantou informações sobre o segmento empresarial em todo o território nacional, comparando os dados com os de 2009 e 2007.

*Com informações da Agência Brasil

CAIXA reduz juros para financiamento imobiliário

Padrão

Publicado em 5 de junho

Caixa Econômica Federal anunciou na tarde desta terça-feira, 5 de junho, as novas taxas para o financiamento imobiliário. Quem fez o pronunciamento foi o vice-presidente de governo e habitação da CAIXA, José Urbano Duarte. As taxas foram reduzidas em todos os setores ligados ao mercado imobiliário.

A taxa de imóvei finaciados pelo SFH caiu para 8,85% para todos os clientes, fora do SFH, as taxas de financiamento imobiliário diminuíram para 9,9% para todos os clientes. Duarte explicou que as mediadas foram tomadas para atender o público atendido pelo banco. “82,8% dos nossos financiamentos são para famílias de até 10 salários mínimos”, esclarece.

A construção civil também recebeu a boa nova. As taxas do programa Plano Empresa da Construção Civil reduziu de 11,5% para 10%. Para a aquisição de imóveis comerciais os juros efetivos caíram de 14% para 13%.

Já o financiamento da construção civil voltadas as pessoas jurídicas tiveram a queda de 13,5% para 12,5%.

O vice enfatiza que a Caixa irá superar o financiamento imobiliário de 2011 entre 20 a 25%. E ele ainda destacou que em maio foi um mês de festa, pois segundo ele “comemoramos em maio o melhor mês de captação da poupança”.

Duarte contou que a politica de redução de juros tem sido benéficas a população e também a Caixa “Ampliamos em 16 vezes o financiamento imobiliário entre 2003 e 2011”, disse.

As medidas só valem a partir do dia 11 de junho, para os novos financiamentos. O tempo máximo também foi alterado, passou de 30 anos para 35.

Abaixo a apresentação feia no momento do anuncio.

Crescimento urbano ameaça Mata Atlântica no Rio de Janeiro

Padrão

Lagoa Rodrigo de Freitas, Rio de Janeiro./ Foto: Divulgação

Publicado em 4 de junho de 2012

O Rio de Janeiro como diz a música continua lindo, principalmente porque é uma das poucas capitais brasileiras que ainda mantém parte da quase extinta Mata Atlântica, mas essa beleza de tons naturais pode estar com os dias contados. Pelo menos é o que mostra um estudo realizado pela Prefeitura Municipal do Rio. Com o avanço das favelas e o aumento da especulação imobiliária o cenário verde aos poucos tem sido alterado. Nos últimos 30 anos a cidade perdeu pelo menos 6,7 mil hectares de cobertura vegetal. De 39.802 hectares, em 1984, restavam 33.008 hectares em 2001, último dado disponível, o que representou uma perda de 17% de área verde.

Os dados podem ser conferidos no site Armazém de Dados, no link Estatísticas. Com a diminuição de suas áreas verdes, o índice de vegetação por habitante caiu ainda mais: em 1984 o carioca dispunha de 76,11 metros quadrados de cobertura vegetal por habitante, número que despencou para 56,28 metros quadrados em 2001, uma queda de 26%.

Mesmo que a cidade ainda disponha de alto índice de área urbana por habitante – cinco vezes superior ao mínimo sugerido pela Organização das Nações Unidas (ONU), de 12 metros quadrados por pessoa – a vegetação não é igualmente distribuída na região urbana. Enquanto alguns bairros próximos a Floresta da Tijuca têm 78% de cobertura vegetal, bairros da zona norte têm apenas 6,5% de cobertura verde, como a Penha, onde estão localizados o Complexo do Alemão e da Penha, em que a taxa de urbanização chega a 93%.

Enquanto a área natural diminui, o número de imóveis em favelas e as construções de edifícios e casas  crescem significativamente. De acordo com o estudo da prefeitura carioca, da área total da cidade, calculada em 122.456 hectares, a área urbana passou de 33.749 hectares, em 1984, para 42.023 hectares, em 2001, representando um crescimento de 24%.

Para a diretora de Gestão do Conhecimento da Fundação SOS Mata Atlântica, Márcia Hirota, o que ocorreu no Rio nas últimas décadas é um retrato do que aconteceu nas demais capitais e grandes cidades do país. Segundo ela, o esforço de muitas prefeituras com políticas de reflorestamento e retirada de invasores ainda é pouco diante do tamanho do problema. “Apesar de haver esforço de muitas prefeituras em combater esses desmatamentos, com políticas de reflorestamento e retirada de invasores, as ações ainda estão abaixo do necessário. É uma situação complicadíssima no País todo, envolvendo falta de gente e estrutura para fiscalização”, explica.

A diretora do SOS Mata Atlântica considera que falta planejamento às prefeituras para se antecipar às invasões de áreas verdes. “O Poder Público está sempre atrasado, vai lá para multar ou combater um dano que já ocorreu. Não consegue fazer um trabalho de monitoramento para que a coisa não aconteça”, disse.

Como consequência disso, Márcia Hirota aponta as tragédias ambientais, que acometem milhares de famílias todos os anos, atingidas por enchentes e deslizamentos a cada período de chuva. “As ocupações e invasões ocorrem em áreas inadequadas, não só em capitais, mas em qualquer cidade. Aí quando acontecem deslizamentos e inundações, com perdas de vidas, a gente fica lamentando. Mas a culpa é do Poder Público, que não faz esse planejamento e não retira as pessoas em áreas impróprias, que a legislação não permite. Aí quando acontece uma tragédia, todos ficam indignados”, ressaltou.

Para a ambientalista, a saída é a participação da sociedade, pressionando as autoridades e apontando desrespeitos ao meio ambiente. “É preciso o cidadão denunciar casos de agressão à natureza, em um esforço coletivo. É mais barato evitar que as pessoas ocupem áreas inadequadas do que fazer um trabalho posterior para recuperar a natureza”, alertou.

Série bebês

Padrão

Alguns dos posts relacionado a decoração de quarto de bebês. Alguns são clippins traduzidos e outros são reportagens da minha autoria. Todos são da série bebê da Linklar, mês de junho.

Dicas de cuidados na hora de decorar o quarto de bebê

O piso de madeira laminada é o mais indicado. /Foto: Projetos Habitissimo

Durante todo este mês de junho vamos ver diversos posts sobre decoração de quarto de bebês, da série bebês. Mas antes de decorar este ambiente tão especial é necessário que os pais percebam que todos os cuidados são poucos na hora de decorar. Para quem tem dúvidas e quer saber mais como organizar o quarto do bebê, nós trouxemos a professora de designer de interiores da Criart-Rio, Miriam Nascimento, e a designer Adriana Andriole. Elas nos deram dicas importantes e que merecem a atenção sobre os cuidados e também sobre o que está sendo usados na decoração. Aproveitem!

Bruna SouzaQuais os cuidados básicos que se deve ter na hora de montar um quarto de bebê?

Adriana Andriole e Miriam Nascimento – Entendemos que um quarto de bebê é o ambiente que acolhe as necessidades primárias do bebê. Precisa ser acolhedor, prático e versátil, pois, muitos se estenderão até alguns anos, necessitando de algumas adaptaçoes. Um ambiente muito bonito, mas sem atender itens de segurança e funcionalidade, dificilmente se tornara uma ambiente muito usado. Outro item importante é evitar a confusão visual, o ambiente precisa passar tranquilidade e deve ter a circulação livre e confortável.
Evitemos também cores fortes, se optarmos por elas, que sejam muito bem combinadas. Quarto é sempre um lugar de repouso. Evite comprar armário pequenos e muita atenção às comodas-trocadores. O bebe cresce rápido e quase não cabe nas medidas que encontramos no mercado.

Leia mais

Quarto para duas princesas no estilo conto de fadas

Foto: Rebeca Gosselin

Um quartinho que parece ter saído das páginas de um livro de contos de fadas para duas princesinhas. Fotografado por Rebecca Gosselin, este mágico dormitório foi projetado pela designer de interiores Susy McBride, para a Sociedade Design de Interiores, dos Estados Unidos. Para decorar o delicado espaço, Susy usou as cores rosa e verde para remeter a um espaço antigo, como é o projeto original da casa, que segue o estilo europeu antigo. Foi ela que projetou e confeccionou detalhes como as letras dos nomes: Lola e Bella, assim como a lona em que está a frase e as cortinas.

As fotos e informações foram retiradas e traduzidas do site norte-americano OntoBaby.

Leia mais

The Beatles é tema do quarto do bebê Owen.

Foto: Ontobaby

Um tom suave, lindo e preparado para receber o pequeno Owen James, nascido em novembro do ano passado. Os pais são fãs de The Beatles e usaram a temática para decorar o quarto do pequenino morador. O quarto do bebê recebeu nas pardes um tom claro de azul celeste, os pais resolveram fugir do tradicional azul bebê. Aplicação perto do bercinho remete a famosa música “Yelow submarine”. Os pocos detalhes decorativos no cômodo marcam a presença da banda. Apenas o mobiliário necessário foi utilizado, já que Owen vai crescer e o quarto será modificado.

Leia mais

Feminilidade e vintage dão toques especiais em quarto de bebê

Foto: Meg Perotti/ OntoBaby

Um quarto cheio de personalidade e ao mesmo tempo feminino, delicado e atual, encaixa-se neste perfil o dormitório da pequena Audrey. Para decorar o quarto da menininha que estava a caminho a futura mamãe Yelena O. Soiree misturou elementos de altos e baixos valores, comprando os itens em uma variedade de lojas. Para dar um toque especial ao quarto, Yelena pôs uma estante de livros que foi sua durante a adolescência. Os tons suaves de rosa, misturados com tons envelhecidos deixam o pequeno ambiente aconchegante e a espera da pequena Audrey.

Leia mais

Estilo provençal em quarto de menina com jeitinho de princesa

Foto: Foto: divulgação

O estilo provençal para quartos de menina é a preferência da maior parte dos pais quando escolhem o tema da decoração. Esse estilo remete a histórias clássicas de conto de fadas, transformando o ambiente em um lugar mágico, com toques de dormitório de princesa. E foi este o tema escolhido para um lindo quarto decorado pelas designers Miriam Nascimento e Adriana Andriole. Miriam explica que o provençal na decoração é inspirados em móveis franceses, na qual “artesãos, para esconder os defeitos da madeira mais inferior, inventaram uma mistura à base de gesso e cola, chamada gessocré. Essa mistura disfarçava os defeitos da madeira; porém, com o tempo, a pátina se desgastava e o móvel adquiria uma aparência envelhecida, que criou o estilo. Hoje é símbolo de elegância”.

Leia mais

Participação do leitor: dicas para quarto de bebê com tema Flamengo

Divulgação

Na segunda-feira recebemos um comentário muito fofo. Na verdade ele também é um pedido de ajuda. O Rodrigo Brum Anselmo vai ser papai de um garotão que receberá o nome de Juan. Pois bem, o Rodrigo é fã de futebol e flamenguista fanático. Ele leu o post que falava sobre decoração de quarto de menino com o tema futebol (Decoração futebol: sonho de muito menino) e pediu alguns para que trouxessemos algumas dicas para decorar o quarto do pequeno Juan com o tema futebol e alguns detalhes que remetam ao Flamengo.

Assim sendo vasculhei e perguntei para alguns decoradores dicas de decoração de quarto de bebê com essa temática e descobri algumas ideias bem bacanas. Espero que o Rodrigo e os demais papais que lerem este texto aproveitem algumas ideias.

Leia mais

Pequenas dicas de decoração do quarto de bebê “Pequeno Príncipe”

Quarto pequeno príncipe

“Você é responsável por aquilo que cativas”, essa é a conhecida frase do livro O pequeno Príncipe, um dos livros mais lidos mundialmente. Quem não conhece a história escrita pelo escritor francês Antoine de Saint-Exupéry, publicado em 1943 nos Estados Unidos. Esta e a terceira obra literária mais traduzida no mundo, tendo sido editada em 160 idiomas e dialetos, perdendo apenas para a Bíblia, e o livro O Peregrino. Apesar de ser um livro infantil, possui um teor poético e filosófico grande, se adaptando para os diferentes públicos. Pensando nisso, para dar continuidade a nossa série bebês, trouxemos algumas fotos de decoração de quartos infantis, para meninos. Esperamos que gostem!

Pintura na parede rende uma linda decoração de destaque. Essa é do artista Fernando Pow, especialista em quartos de criança.

O artista usou a técnica de aerografia./ Foto: Fernando Pow

Leia mais

Acompanhe a Rio +20 pela Linklar

Padrão

Aqui estão as matérias da Linklar sobre a Rio +20.

Rio +20 termina com com balanço positivo para o Brasil e polêmico para movimentos sociais

Foto: Fábio Rodrigues Pozzebom/EBC

A Rio+20 será encerrada hoje, 22 de junho, com a divulgação do documento final, contendo 49 páginas, denominado O Futuro Que Queremos. O balanço dos dez dias de discussões divide opiniões. Autoridades brasileiras consideram um avanço a inclusão do desenvolvimento sustentável com erradicação da pobreza, enquanto movimentos sociais e alguns líderes estrangeiros condenam a falta de ousadia do texto.

Leia mais

Hillary Clinton destaca a importância da mulher para o desenvolvimento

Clinton discursa/ Foto: divulgação

Hoje, 22 de junho, Hillary Clinton, representando os Estados Unidos, lançou uma iniciativa na qual o país irá incentivar o desenvolvimento de energia limpa na África, que prevê a destinação de US$ 20 milhões a projetos em países do continente. No mesmo anúncio a Secretária de Estado norte-americana, destacou que a liderança brasileira permitiu que todos os países se reunissem em torno de um documento final na Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável, a Rio+20, e que marca “um grande avanço para o desenvolvimento sustentável”. Ela ainda enfatizou a importância da mulher para o desenvolvimento de todos os países.

Leia mais

Projeto inédito para fornecer energia limpa em Fernando de Noronha

O presidente da Itaipu Binacional, informou na Rio+20 que técnicos da empresa vêm trabalhando há vários anos em parceria com diversas empresas europeias, para desenvolver um sistema de baterias “altamente eficiente”, a partir do cloreto de sódio, que não causa danos ao meio ambiente, e com isso estão elaborando um projeto inédito no País para que a a energia fornecida à Ilha de Fernando de Noronha, em Pernambuco, seja substituída por energias solar e eólica ainda este ano.

Leia mais

Dilma abre oficialmente a Rio+20 e China doa bilhões de doláres para fundo da ONU

Foto: Roberto Stuckert Filho/PR

Hoje à tarde, 20 de junho, foi aberta oficialmente a Rio+20 para os governantes, com discurso da presidenta Dilma Roussef, na segunda reunião plenária de chefes de estado. Entre as discussões o desenvolvimento sustentável para todos foi o destaque, sendo que todos concordaram que a hora de fazer é agora. Primeiro-ministro chines criticou países desenvolvidos que não irão contribuir com o fundo de projetos para o desenvolvimento sustentável da Onu, e doou o valor de 6 bilhões de dólares.

Leia mais

Dilma deve ressaltar a necessidade de unir forças para garantir o futuro das gerações

Na abertura oficial da Conferência das Nações Unidas, Rio+20, a presidenta Dilma Rousseff deve defender a necessidade de um esforço conjunto para garantir um planeta sustentável. No discurso, ela pretende destacar os avanços obtidos no texto do documento da conferência, no qual o desenvolvimento sustentável deve ocorrer por meio da erradicação da pobreza e a inclusão social. Durante a abertura, marcada para hoje, 20 de junho, às 16h. Dilma irá ressaltar a necessidade de se pensar nas gerações futuras.

Leia mais

Insatisfeitos com a Rio+20 Anonymous voltou a atacar

Imagem do Youtube

Insatisfeitos com os rumos da Rio +20 o coletivo hacker Anonymous voltou a atacar sites em busca de chamar a atenção dos internautas para temas políticos. Na manhã de hoje, 20 de junho, por volta das 10h40min, o site o Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) – no endereço incra.gov.br – foi alterado e um vídeo sobre a conferência entrou no ar. Mas o Incra não foi o único invadido, várias páginas municipais de diversos estados também foram alvo da manifestação virtual. Com a tradicional máscara de “V de Vingança”, um membro afirma que o evento – que acontece entre os dias 13 e 22 de junho no Rio – reúne chefes de estado de vários países e que o povo deveria participar da tomada de decisões, pois sem participação popular não há democracia.

Leia mais

Jovens pedem destaque para paz no documento da Rio+20

Na manhã desta segunda-feira, 18 de junho, um grupo de jovens se reuniu para pedir mais destaque no documento final da Rio +20. Com o lema “Desenvolvimento Sustentável Precisa de Paz”, eles defendem que só é possível se desenvolver de forma sustentável em locais onde não há guerras.

Leia mais

Estudo classifica água das áreas urbanas como péssima

Arroio Dilúvio, em Porto Alegre./ Foto: Curto Poa

Mesmo que 81% dos recursos hídricos monitorados no Brasil serem considerados em excelentes ou boas condições o baixo índice de coleta e tratamento de esgotos faz com que 47% das águas localizadas em áreas urbanas sejam avaliadas como ruins ou péssimas. A constatação faz parte do estudo Panorama da Qualidade das Águas Superficiais – 2012, divulgado hoje, 19 de junho, pela Agência Nacional de Águas (ANA).

Leia mais

Rascunho final da Rio+20 é fechado e não agrada muito

Rascunho do documento final da Rio +20 foi fechado hoje, 19 de junho, após sete dias de discussões entre as delegações que representam os 193 países membros da Organização das Nações Unidas (ONU) chegaram a um acordo sobre o documento final da Conferência das Nações Unidas sobre o Desenvolvimento sustentável (a Rio +20). O texto foi apresentado hoje de madrugada pelo Brasil e foi aprovado sem alterações na reunião plenária iniciada às 10h30 e que durou quase três horas. Embaixadores explicaram o item mais polêmico: a ajuda financeira dos países mais desenvolvidos com os subdesenvolvidos.

Leia mais

Sem definições cúpula da Rio+20 reabre debate com divergências

As definições detalhadas e as minúcias que cercam os temas-chave da Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável, a Rio+20, levaram os negociadores brasileiros e estrangeiros a passarem a noite de ontem e a madrugada de hoje, 15 de junho, em reuniões. Os debates foram reabertos nesta manhã. A maior parte das divergências, entretanto, não foi dirimida. A expectativa para hoje é que mais um dia longo de debates e discussões se estenda. Também será anunciado que se precisará mais tempo para fechar o documento O futuro que Queremos.

Leia Mais

CAIXA lança selo com taxas especiais para construções sustentáveis

Logo Divulgação

Nesta semana, aproveitando a Rio +20, a Caixa Econômica Federal lançou a linha Crédito Verde, que traz condições diferenciadas para atividades sustentáveis. O Crédito Verde engloba taxas reduzidas para o financiamento de veículos ecoeficientes, a linha de crédito Ecoeficiência Empresarial, composta de vários produtos para Pessoa Jurídica, e taxas especiais para empresas da construção civil que desejam financiar habitações sustentáveis por meio do Selo Casa Azul.

Leia Mais

A tecnologia verde não será problema para os países emergentes

Hoje, 14 de junho, o embaixador Luiz Figueira Machado, secretário executivo da Comissão Nacional para a Rio +20, em coletiva falou das dificuldades e também sobre a união dos países para desenvolver soluções para a economia sustentável a longo prazo. Machado esclareceu que o investimento em tecnologia é o essencial para que se possa atingir esse objetivo.

Leia Mais

Pará quer ser referência com novo modelo de economia rural na Rio +20

O estado que mais sofre com os grandes desmatamentos da Amazônia, o Pará quer mudar e conquistar posição de destaque durante a Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável, a Rio+20. O governador do estado, Simão Jatene, pretende anunciar hoje, 14 de junho, medidas para reduzir o desmatamento ilegal na região e mudar o modelo de economia rural, apontado como extensivo e predatório.

Leia mais

Dilma na Rio +20: “sustentabilidade é um dos eixos centrais de desenvolvimento”

Presidenta Dilma Roussef abriu o pavilhão Brasil hoje na Rio +20./ Foto: Agência Brasil

A presidenta Dilma Rousseff abriu hoje, 13 de junho, o Pavilhão do Brasil, no primeiro dia da Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável, a Rio+20. Em seu discurso, ela lançou um alerta sobre a necessidade de um compromisso entre todos os países do mundo para alcançar metas de desenvolvimento sustentável, principalmente as nações desenvolvidas que enfrentam crise em suas economias.

Leia mais

Debate sobre economia verde aquece o debate na Rio +20

O conceito de economia verde não é um consenso entre os países ricos e em desenvolvimento, e será um dos debates mais quentes da Rio +20 que começa hoje, 13 de junho. Na avaliação de Pablo Solón, analista internacional e ex-embaixador da Bolívia na ONU, a economia verde tem por objetivo criar um “ambiente propício” para que se permita o investimento privado em recursos naturais como a água e os oceanos. Em entrevista à Rádio Moçambique, o Comissário da União Europeia para o Meio Ambiente, Jan Potocnik, afirmou que a economia verde não diz respeito apenas ao verde. “Trata-se de economia, crescimento, erradicação da pobreza e justiça social também. Por isso os países europeus preferem não utilizar mais a expressão economia verde, trabalhamos hoje os preceitos da eficiência de recursos”.

Leia mais