Copa do Mundo também na Lomba do Pinheiro

Padrão
Pai e filha esperavam o inicio da partida/ Foto: Bruna Santos de Souza

Pai e filha esperavam o inicio da partida/ Foto: Bruna Santos de Souza

Na última segunda-feira, 23 de junho, sai da minha casa e fui assistir o jogo entre Brasil e Camarões no telão colocado no meu bairro. A iniciativa da Prefeitura de Porto Alegre é aproximar a Copa do Mundo dos moradores de bairros mais afastado do Centro. Não fui com as mãos abanando, levei minha velha câmera e meus olhos atentos, pois eu queria muito contar aquela história. Assim eu fiz. Texto publicado no meu blog De Cabeça Para BaIxo e fotos no Flickr. Leia um trechinho:

Copa do Mundo também na Lomba do Pinheiro

A segunda-feira carrancuda e chuvosa não afastou cerca de 500* pessoas da festa organizada pela Prefeitura de Porto Alegre. A Viva Porto Alegre na Copa levou ao bairro Lomba do Pinheiro shows de bandas locais e um telão para os moradores e visitantes assistirem o jogo do Brasil e Camarões, última partida da primeira fase da Copa do Mundo.

O Brasil saiu vitorioso e motivou os moradores que mesmo com a noite não arrredavam o pé do local. Muitos saíram satisfeitos, mas outros ainda querem ver mais o futebol da Seleção. Continuação…

———————————————————————

As fotos podem ser vistas no álbum intitulado Copa do Mundo Brasil 2014 – Viva Porto Alegre na Copa – Lomba do Pinheiro

Professores protestam em frente de PA Lomba do Pinheiro

Padrão
Foto: Bruna Souza

Foto: Bruna Souza

No dia 3 de junho acompanhei uma manifestação que houve na frente do Pronto Atendimento da Lomba do Pinheiro. O grupo de professores que aderiram a greve dos municipários de Porto Alegre, iniciada um dia antes. No momento eles gritavam palavras de guerra como “Senhor Prefeito valorize a Educação”.

Publiquei três fotos no Instangram e um texto no meu blog pessoal.

Funcionários e professores da Escola de Ensino Fundamental Saint Hilaire protestaram hoje pela manhã em frente ao Pronto Atendimento Lomba do Pinheiro, em Porto Alegre. O grupo faz parte dos municipários que aderiram a greve iniciada ontem, 2 de junho. Dentre as reivindicações estava a valorização do professor e da educação.” Leia o restante da matéria no De cabeça para baixo.

Poste de luz preocupa moradores na Lomba do Pinheiro

Padrão
Print da tela

Print da tela

Saiu no Jornal Cidade Leste um texto e fotos de minha autoria que relatam o problema sofrido no meu bairro, no qual um poste está inclinado e pode cair em cima de uma das casas da rua.

O texto completo e as fotos podem ser acessados neste link http://www.jornalcidadeleste.com.br/index.php/zl-site/1513-poste-de-luz-preocupa-moradores-na-lomba-do-pinheiro.html

Abaixo o texto:

Poste de luz preocupa moradores na Lomba do Pinheiro

Um poste de luz está preocupando os moradores da Rua A, acesso Um (parada 12), no bairro Lomba do Pinheiro. O poste está torto e de acordo com os moradores o pedido para troca foi feito no dia 26 de dezembro do ano passado. Desde então o poste tem se inclinado cada vez mais e ameaça cair. Os técnicos da CEEE já visitaram o local algumas vezes, mas a troca ainda não foi realizada. O medo dos moradores é que o poste caia em cima de um dos moradores ou em uma pior hipótese, que caia sobre uma criança. Se houver a queda ele irá cair sobre uma das casas.

A rua é sem saída e em forma de L, possui onze imóveis, sendo que em três possuem crianças pequenas que brincam na rua, pois ela tem um portão que faz a segurança do local. Esse portão não transforma o lugar em condomínio e foi colocado em 2001 com autorização da Prefeitura de Porto Alegre. O portão e o formato do acesso são apontados pelos técnicos como problema e dificulta a entrada do caminhão da empresa, contudo por volta de 2005 foi realizada a troca de outro poste, localizado no final desta rua, contou Marli dos Santos, moradora.

Os moradores relataram que no início deste ano um grupo de técnicos foi até o local e escoraram o poste torto em uma estaca, porém a ação não está funcionando e o poste está cada vez mais inclinado. No dia 30 de outubro a troca seria realizada, porém o motorista do caminhão não conseguiu manobrar o automóvel na rua o que impossibilitou o trabalho. Foi prometido então que seria enviado um caminhão menor. Porém, ontem, 5 de dezembro, dois técnicos da estatal foram atender um chamado e ao serem questionados por um dos moradores eles foram ríspidos e disseram que não será trocado o poste e que a empresa não possuí um carro menor. Tentou-se contato com a CEEE para esclarecer a questão, porém das três tentativas todas caíram.

poste 1

Minha participação no “vc repórter” do Terra sobre chuva forte na Lomba do Pinheiro

Padrão

Uma forte chuva atingiu alguns bairros de Porto Alegre e causou estragos, na Lomba do Pinheiro algumas casas foram destelhadas e outras alagadas. A água chegou a atingir 30 cm de altura nos imóveis alagados. Mandei a informação para o “vc repórter”, do site Terra, e com ela foi gerada a notícia que está abaixo. Leia! =D

vc repórter: temporal danifica casas na zona sul de Porto Alegre

O forte temporal que atingiu, na noite de domingo, a região metropolitana de Porto Alegre (RS) danificou pelo menos seis casas no bairro Lomba do Pinheiro, um dos mais atingidos pela chuva, na zona sul da cidade.

De acordo com a Defesa Civil, houve registro de seis casas destelhadas na região. Os moradores também relatam que a água chegou a entrar em algumas casas, causando estragos. Outros bairros afetados foram Restinga e Belém Velho.

Segundo a CEEE, pelo menos 18 mil imóveis ficaram sem energia durante o temporal, e há relatos de chuva de granizo.

A agência meteorológica Climatempo prevê que os próximos dias sejam de calor, com máximas de 32° até a Quarta-Feira de Cinzas; ao longo do dia, contudo, o aumento da nebulosidade pode provocar novas pancadas de chuva entre o final do dia e o início da noite.

A internauta Bruna Santos de Souza, de Porto Alegre (RS), participou do vc repórter, canal de jornalismo participativo do Terra.

http://noticias.terra.com.br/brasil/cidades/vc-reporter-temporal-danifica-casas-na-zona-sul-de-porto-alegre,26026d9addacc310VgnVCM4000009bcceb0aRCRD.html

eu no Terra

Chuvas deixa desabrigados e destrói cidades no Rio de Janeiro

Padrão

Publicada no site Linklar em 3 de janeiro de 2013

Não houve o rompimento de barragem em Xerem, avisa Defesa Civil./ Foto: EBC

Não houve o rompimento de barragem em Xerem, avisa Defesa Civil./ Foto: EBC

Uma frente fria que atingiu o estado do Rio de Janeiro nesta madrugada, 3 de janeiro, fez novos estragos na região serrana, no sul do estado e na Baixada Fluminense. Uma pessoa morreu em Xerém, distrito de Duque de Caxias, onde o Rio Capivari subiu ao nível das pontes e alagou diversos bairros. Nas demais localidades vários imóveis foram devastados. A estimativa é que na região de Teresópolis cerca de 50 pessoas estejam desalojadas e 32 sem casa em Angra dos Reis. O governo estadual pretende anunciar ainda nesta tarde uma força tarefa para auxiliar os municípios.

Informações divulgadas pela Defesa Civil Estadual avisam que em Angra dos Reis, no sul do estado, oito casas desabaram e há 32 pessoas desabrigadas. Na mesma região, em Mangaratiba, houve rolamento de pedras e um muro desabou, causando destruição em uma residencia. Em Mambucaba, há pelo menos 100 desalojados.

Em Teresópolis, as sirenes foram acionadas em cinco comunidades com a subida do Rio Paquequer. Cinquenta pessoas perderam suas moradias nas localidades do Vale da Revolta, de Perpétuo, Rosário, Caxangá e Pimentel. Em Petrópolis, os rios Bingen e Piabanha transbordaram. Houve escorregamento de terra e pedras nos bairros Independência, Siméria e São Sebastião.

Ainda na tarde de hoje o governo do Rio de Janeiro vai instalar um gabinete de crise para atender e dar respostas mais rápidas às situações de emergência provocadas pela forte chuva que atingiu o estado nesta madrugada. Participam do grupo representantes das secretarias de Defesa Civil, Saúde e Assistência Social, Obras, Governo e o Serviço Geológico do Estado. Representantes do governo se reunirão na manhã de hoje para definir a estratégias de atuação do gabinete.

De acordo com o secretário estadual de Defesa Civil, coronel Sérgio Simões, a área mais afetada foi Angra dos Reis, onde três pessoas tiveram ferimentos leves e foram socorridos pelo Corpo de Bombeiros. Contudo, segundo o coronel, não foi necessário o envio de reforço, pois Angra dos Reis já tem estrutura preparada para atender a emergências, devido ao plano de atuação para a central nuclear instalada no município.

“A Defesa Civil disparou um protocolo para desmobilizar as pessoas que vivem em comunidades com risco geológico. Um número estimado de 20 mil pessoas vivem na região, cerca de 2,5 mil habitantes estão sendo orientadas a seguir para locais seguros, que pode ser casas de amigos, parentes ou os locais definidos pela prefeitura”, salienta Simões ao explicar a situação das cidades em calamidade.

Ele ainda falou que não houve rompimento da barragem em Xerém, como divulgado por populares, o que houve foi o transbordamento dos rios. Há cerca de 200 desabrigadas na região. Em Nova Iguaçu e Belford Roxo também houve alagamento, problema agravado pela falta de recolhimento do lixo, mas sem relatos de dificuldade em atendimento hospitalar.

Interdição Parcial da rodovia Rio-Santos

As chuvas fortes desta madrugada também provocaram o deslizamento de pedras em Mangaratiba, cidade a 85 km do Rio de Janeiro, levando à interdição parcial da Rodovia BR-101 Sul, mais conhecida como Rio-Santos.

A Polícia Rodoviária Federal (PRF) informa que o tráfego está totalmente interrompido na altura do km 578, em Paraty, devido ao tombamento de uma carreta.

*com informações da Agência Brasil

8 dicas importantes para você que pretende comprar um imóvel na planta

Padrão

Publicado originalmente no Linklar Editorial

O consórcio pode ser uma boa pedida para quem quer pagar juros menores./ Foto: Revista Construir

Comprar uma casa para chamar de sua ou para investir é o sonho de 19,2 milhões de brasileiros, segundo pesquisa realizada em 2011, pelo Instituto Data Folha. Comprar um imóvel na planta é uma boa solução, mas se deve ter cuidados antes de fechar o negócio. E muito importante que o futuro comprador conheça bem seus direitos e também como andam suas contas, já que a compra de um imóvel novo geralmente tem longos prazos de financiamento. A época também é propícia para que muitas pessoas comprem a sua sonhada moradia, pois pode-se usar o décimo terceiro e também o dinheiro das férias para a realização deste grande desejo. Mas antes de comprar um imóvel novo é importante saber que alguns cuidados devem ser tomados e por isso destacamos 8 dicas importantes para ser usadas na hora de comprar um apartamento na planta.

1- Tenha muita calma na hora de comprar um imóvel na planta, use o tempo a seu favor. Pesquise imóveis, localidades e formas de pagamento. Escolha aquele que melhor cabe no seu estilo, na sua rotina, mas também no seu bolso;

2- Conheça muito bem suas finanças pessoais e até mesmo familiares, porque se o pagamento da compra acontecer através de financiamento as parcelas NÃO PODEM ultrapassar 30% da renda mensal;

3- Verifique o passado da construtora antes de realizar a compra do imóvel. Pesquise o histórico da empresa, se ela costuma entregar os produtos dentro do prazo estipulado ou se sempre atrasa nas entregas. Veja também se a futura construtora a ser contratada não está sofrendo algum tipo de processo em varas cíveis. Um bom site para ajudar nesta pesquisa é o Reclame Aqui;

4- Não esqueça também de verificar se a empresa possui todos os documentos necessários para a construção do empreendimento. Consulte aqui a lista da documentação necessária;

5- Não feche nenhum contrato antes de pesquisar bem as taxas de juros dos financiamentos, buscando assim as melhores opções;

6- Planeje a longo prazo. Pense como você irá pagar o financiamento daqui cinco ou 10 anos. Essa é uma forma de garantir que você não tenha sustos grandes no futuro, nem arrisque perder seu imóvel;

7- Uma das opções para a compra do imóvel na planta é o consórcio, pois modalidade tem taxas de juros bem menores que o financiamento bancário;

8- Se você trabalha de carteira assinada a mais de três anos uma das opções para abater as parcelas do financiamento ou do consórcio é o uso do FGTS. Mas calma, pense bem antes de usá-lo, se agora é o melhor momento ou se futuramente esse dinheiro será mais útil.

Caso tenha ficado alguma dúvida há alguns meses escrevi alguns posts sobre o assunto. Vale a pena conferir.

Este seria o melhor momento para os jovens adquirirem o 1º imóvel?

Como investir no mercado imobiliário – imóvel na planta

Veja o passo-a-passo para financiar imóveis na planta

Espero que tenham gostado das dicas! 😉

Este seria o melhor momento para o jovem adquirir o 1º imóvel?

Padrão

publicada em 17 de julho de 2012, no blog Linklar

O Consórcio é uma forma recomendável para quem quer adquirir o próprio imóvel./ Foto: divulgação

O Consórcio é uma forma recomendável para quem quer adquirir o próprio imóvel./ Foto: divulgação

Comprar um imóvel e ter a sua própria casa é o sonho de muitos brasileiros. Este sonho foi ou está sendo realizado por 75% da população brasileira de acordo com pesquisa divulgada pelo IBGE. O estudo mostra que mais da metade dos jovens casais (com idades entre 25 a 30 anos) só passam a morar juntos, após a compra do 1º imóvel. Já os jovens solteiros, de mesma faixa etária, só buscam o 1º imóvel próprio motivados pela distância da casa dos pais dos locais de trabalho e estudo. O mercado imobiliário, por sua vez, passou três anos aquecido, e agora vê baixa nos valores e com isso a estabilidade nos preços. Porém fica a dúvida se este seria o melhor momento para se comprar um imóvel e quais as melhores formas de investimento para os jovens adquiri-lo.

O casal Juliana Godoy Gonçalves, 26 anos, e Tiago Alves da Silveira, 30, se encaixam perfeitamente no perfil descrito pelo IBGE. Eles só decidiram casar depois de comprarem o imóvel próprio. De acordo com Juliana eles buscavam ter um espaço só para eles e salientou que “é importante que o casal tenha estrutura desde o início do relacionamento e crescer junto, ao menos para dar um primeiro passo”. A jovem jornalista Raiza Ismério Roznieski, 23 anos, seguiu a tendência descrita pela pesquisa. Com a mudança da família em 2006 para o interior do Rio Grande do Sul, ela decidiu voltar para a capital do estado, um ano depois, para fazer faculdade de jornalismo e trabalhar na área. “Eu nunca imaginei morar sozinha, sério mesmo. Queria morar com a minha mãe para sempre. Mas com as mudanças tive que aprender a morar sozinha”, conta.

Ambos os casos foram de compra de apartamento na planta, que na visão do economista Felipe Augusto Canal da Silva, analista de planejamento financeiro, é a melhor forma de aquisição de um imóvel para quem quer se organizar para pagar o financiamento sem atingir o orçamento doméstico. “É importante que haja um planejamento financeiro feito pelo comprador. Se o comprador, por exemplo, puder esperar cerca de três anos, a compra na planta pode ser uma boa opção para morar”, salienta. Juliana explica que durante um ano ela e o marido procuraram por imóveis novos e usados, e avaliaram todas as condições para fazerem um bom negócio. Escolheram comprar na planta e acreditam que fizeram a melhor escolha. “Ele (apartamento) está valorizando pela estrutura e como em breve quitaremos a dívida, dará um retorno positivo sobre nosso investimento e permitirá ainda, que façamos planos futuros de nos mudarmos para um lugar ainda melhor”, conclui o casal.

Raiza falou que depois de alugar um JK fez os cálculos de quanto gastou de aluguel em um ano e viu que poderia usar este valor na compra de um apartamento. Fez um planejamento a longo prazo, e em 2009 adquiriu um apartamento na planta. Agora, depois de três anos, ela irá pegar as chaves ainda esta semana. “Para comprar o imóvel eu tive que abrir mão do sonho de ter um carro. Desde os meus 15 anos economizava para comprar um e foi esse dinheiro que dei de entrada no apartamento. Como comprei na planta, paguei ainda mensalidades e alguns reforços. Agora, que está pronto, assinei o contrato para o financiamento”.

Juliana e Raiza tiveram um tempo necessário, de acordo com Silva, para se organizar até a negociação do financiamento, porém para quem quer adquirir um imóvel e morar nele imediatamente, o economista, diz que este não é o melhor momento para este investimento, por causa das altas e baixas que o setor imobiliário está sofrendo atualmente. Caso não haja jeito ele sugere então que se busque “alternativas como procurar imóveis usados em boas condições ou ainda imóveis em leilão. Caso o desejo seja mesmo de um imóvel novo, vale pesquisar as taxas de juros dos financiamentos e buscar sempre as melhores opções, usando o FGTS sempre que possível para abater o saldo devedor”.

Formas de financiamento: O consórcio é uma boa pedida

Durante o primeiro semestre deste ano os bancos reduziram as taxas de juros para quem busca financiamento bancário para aquisição de imóveis. Um dos destaques foi a Caixa Econômica Federal que reduziu as taxas em até 9,9% mensais. Tais medidas aconteceram para atender o público do banco. “82,8% dos nossos financiamentos são para famílias de até 10 salários mínimos”, esclareceu José Urbano Duarte, vice-presidente de Governo e Habitação da Caixa.

Felipe explica que os juros estão sendo reduzidos em função do aumento das garantias oferecidas, da redução na burocracia de compra de um imóvel e do avanço do setor como um todo. Os jovens que planejam comprar um imóvel têm algumas boas opções no mercado. Uma que vem crescendo bastante nos últimos anos é o Consórcio”.

O Consórcio Imobiliário vem sendo alternativa de muitas pessoas, incluindo os jovens, que querem comprar um imóvel e tem tempo para esperá-lo. Apesar da instabilidade do mercado neste ano de 2012, o crescimento pela busca deste tipo de mobilidade foi de 46% de janeiro a maio deste ano. É uma forma segura de aquisição, garante Silva. O economista explica que o consórcio é uma boa opção pois “ trata-se de um produto no qual um grupo de pessoas com um objetivo em comum, no caso comprar um imóvel, depositam mensalmente uma quantia, de modo que alguns participantes do grupo são sorteados mensalmente para receberem o dinheiro para adquirir seu imóvel. No final do prazo, todos os participantes já tem o dinheiro para comprar a sua casa. A grande vantagem é que não há a cobrança de taxa de juros nesta operação. Há a cobrança de uma taxa de administração, que está por volta de 22% para o período todo do Consórcio, enquanto a taxa de um financiamento está em média 10% ao ano”.

Quem possuí FGTS pode usar este dinheiro para abater as mensalidades do financiamento ou do consórcio, visto que “ele possui uma rentabilidade inferior a todas as aplicações financeiras disponíveis e pelo fato de render menos que a inflação”, conclui o economista.

Na apresentação abaixo algumas dicas para as pessoas quiserem usar o FGTS para realizar o sonho de ter a casa própria.